Gardnerella: Sinais, sintomas, diagnóstico e tratamento desta Doença Sexualmente Transmissível de grave contágio para gestantes

A gardnerella é uma doença sexualmente transmissível que geralmente é diagnosticada em homens. No entanto, quando uma mulher gestante entra em contato com o agente causador, esta se torna uma grave doença que pode levar ao parto prematuro e recém nascido com baixo peso.

É a vaginose bacteriana mais comum nas mulheres sexualmente ativas (acometendo de 20 a 80% delas) é causada pela bactéria anaeróbia facultativa Gardnerella vaginalis. Tal bactéria é residente da flora bacteriana normal do trato genital feminino e só causo danos quando há alguma alteração nesta região como mudança de pH ou aumento de temperatura e umidade, stress, baixa imunidade, gravidez, uso de dispositivo intra-uterino DIU e infecções prévias.

 

Formas de contágio da Gardnerella

A principal forma de contágio na mulher é pela auto infecção, ou seja, está relacionado aos fatores que predispõem a proliferação bacteriana (visto que a Gardnerella é uma bactéria da flora normal feminina), mas também pode dar-se por contato sexual entre mulheres. No homem, a infecção ocorre pela relação sexual desprotegida com uma parceira infectada.

 

Manifestações clínicas da Gardnerella

Algumas mulheres podem ser assintomáticas, e quando presentes, os sinais e sintomas são:

  1. Corrimento amarelado de odor forte e desagradável
  2. Bolhas superficialmente distribuídas pela vulva
  3. Coceira intensa (incomum)
  4. Após o ato sexual, devido à liberação de esperma na região, há um intenso odor de peixe podre

Já nos homens, as manifestações clínicas são:

  1. Corrimento amarelado
  2. Coceira
  3. Dor durante o ato sexual
  4. Dor, calor, rubor e edema (sinais inflamatórios) na região da glande, prepúcio e uretra

O homem geralmente é assintomático

 

Diagnóstico da Gardnerella

Pode ser feito por vários métodos, dentre eles: Papanicolau, método de coloração de Gram (o melhor e mais usado) e isolamento bacteriano.

 

Tratamento da Gardnerella

A infecção é de fácil cura e seu tratamento é feito pelo uso de antibióticos, sendo o como Metronidazol a droga de escolha, pois age no combate à Gardnerella e a outras bactérias anaeróbias que geralmente estão associadas ao quadro. Mas também pode ser feito pelo uso de drogas como Secnidazol ou Azitromicina tomados via oral, ou em pomadas, que devem ser aplicadas no local. Mesmo que o parceiro não apresente sintomas, o tratamento deve sempre ser estendido a ele.

 

Quais as consequências se a mulher/homem não for tratada?

A infecção bacteriana predispõe a outros tipos de doenças como a tricomoníase (já descrita aqui), gonorréia e até HIV. Também é fator de risco para infertilidade, endometrite (inflamação no endométrio) e mais raramente neoplasia cervical. Na gravidez, se não tratada, a infecção pode ser causa de prematuridade e recém nascido de baixo peso.

 

Prevenção contra a Gardnerella:

Previne-se qualquer doença retirando os fatores causais. Neste caso, é importante: uso de preservativos durante a relação sexual, evitar a promiscuidade (vários parceiros sexuais), higiene íntima diária adequada, tratar infecções do trato genital e consultar periodicamente o seu médico de escolha.

 

Porque a Gardnerella ocorre preferencialmente nas mulheres?

Isto se deve a dois fatores: o líquido seminal, presente apenas nos homens, possui elevadas concentrações de zinco e pode impedir o crescimento e proliferação da bactéria. Além disso, o epitélio que reveste a próstata contém células que dificultam a adesão da Gardnerella.

Aos primeiros sinais e sintomas, consulte seu médico.

Texto de:
Natália Júlia da Costa
Author: Natália Júlia da Costa
Sobre:
Acadêmica do 5º ano de medicina na Faculdade de Medicina de Barbacena. Natural de Araxá - MG, sou apaixonada por música, livros, danças e crianças.


Conheça mais: